segunda-feira, 7 de outubro de 2013

HORROR PEQUENO BURGUÊS!

A Democracia fez um gol no placar da Justiça com J maiúsculo. O Ministro Celso Mello votou para que, na prática, ocorra um julgamento novo do episódio, manipulado pela imprensa, chamado "mensalão". O Supremo Tribunal Federal STF - ganhou pontos na realização de uma Justiça que respeite à Constituição e a ordem do Estado de Direito Democrático- num gesto de isenção e orgulhosa defesa dos processos judiciais dentro da tradição dos tribunais que tentam lograr decisões incólumes. 



Porém, mídia golpista, antipopular e assecla das grandes corporações financeiras ficou em polvorosa! A classe média alta brasileira, a camada pequeno burguesa que é racista, excludente e egoísta - diz que não tem partido que a represente sem ser o PSDB, tão fraquinho e definitivamente sem voto nas camadas populares - soltou impropérios contra o STF, que - antes - era o órgão paladino da "ética", da "moral" e dos "bons costumes" (só se for o costume dos debaixo baixarem mais a cabeça a esta corja de sanguessugas!), agora foi demonizado comparado a uma pizzaria. A decisão do STF não condenou definitivamente os inimigos políticos históricos desta gente autoritária, e que sempre foi a "dona do poder", dando-lhes a oportunidade de Defesa segundo as regras internacionais de julgamento de quem quer que seja.

Oh! ridícula classe abastada e assecla dos ricos e milionários! Fundem seu próprio partido fascista, bando de vagabundos, preguiçosos e oportunistas! Nem para ter uma organização partidária com um programa discricionário e etnocêntrico são capazes e dispostos!!!!

Pois é... agora a pequeno burguesia tem suas próprias candidaturas: Aécio, Eduardo/Marina! Torço para que esta canalha se una, encontre o caminho "pragmático (ops, "programático" - segundo a vacilação de Marina ao anunciar sua filiação ao PSB - e ela que disse que não tinha partido para ela... tem: contanto que ela continue sob os holofotes da mídia conservadora e inimiga do progresso social) e que consiga enganar milhões de eleitores com seu discurso hipócrita e "verde" a serviço de banqueiros e industriais (uh!!! e tem gente que ainda acredita nesta vaca de presépio do capitalismo!). Assim a derrota destes safados me causaria uma enorme alegria!

Dilma, portanto, continua candidata e candidatíssima por causa de uma oposição midiática que só consegue juntar o que pior existe na política brasileira para tentar se contrapor ao PT. Não será assim mais! Nosso povo sabe quem faz parte da corja que quer acabar com as políticas (ainda bastante limitadas) de inclusão social, educação pública e saúde pública.  E sabe, ainda, quem são seus verdadeiros aliados na elaboração e realização de governos realmente preocupados e eficazes com ações favoráveis à dignidade da pessoa humana.



O Brasil, com os governos do PT, avançou insuficientemente nestas áreas. O Bolsa Família é limitado e não pode - e nunca poderá - substituir o programa de Renda Mínima que garanta a todo brasileiro e brasileira o direito de viver sem preocupações monetárias (financeiras), mas não pode ficar sob a direção de quem não tem pena dos setores mais miseráveis de nossa sociedade. Os investimentos em Educação e Saúde que vem sendo feito pelos governos de coalizão de Lula e Dilma não podem cair nas mãos de quem entende que - mesmo numa sociedade de desiguais estes investimentos tem que ser dados para os setores "administrativamente mais eficientes", com "gestão excelente" e outras baboseiras tecnicistas e que fazem o banqueiro, nacional ou internacional, sorrir com todos os seus dentes cheios do sangue dos que nunca puderam estudar ou ter sua saúde investigada por médicos e médicas.

Urge as forças populares constituírem organizadamente e de forma independente dos governos do PT e da oposição burguesa/pequeno burguesa construir sua alternativa política tanto nos campos programáticos quanto político partidários. O projeto do Partido dos Trabalhadores já possui sinais de desgaste por suas alianças espúrias com setores e personalidades que nunca e nem agora são comprometidas com as transformações sociais que o programa original de constituição deste partido. 



Comunistas, socialistas revolucionários, democratas radicais temos que avançar, na teoria e na prática, por uma saída programática popular, democrática e que tenha a Justiça Social como meta. 

O mundo é dos que sonham e possuem determinação em os realizar!

domingo, 15 de setembro de 2013

É PRECISO ESTAR ATENTO E FORTE!


A luta pela democracia e por uma sociedade mais justa é mais antiga do que esta foto da década de 70, no pátio da PUC do Rio de Janeiro. Mas ela é emblemática para mim. Já tínhamos a certeza que a liberdade, a igualdade e a fraternidade estava no campo da luta de todos os explorados e oprimidos, o Brasil só começou a avançar na diminuição dos índices de desigualdade social com o governo liderado pelo Partido dos Trabalhadores, os novos "comunistas" da década de 50.

É óbvio que o PT só chegaria ao governo utilizando os mesmos métodos que nossa sociedade não aceita de foma hipócrita! O episódio do "mensalão" é nada mais do que a repetição das mesmas atitudes dos setores alijados do governo em toda a história do Brasil. Prestes, Marighella e outros comunistas foram perseguidos por todos os meios, para afasta-los do povo e das forças que, realmente, tem poder (e ainda não sabem profundamente): os trabalhadores e os indignados.

Morro de rir, e me entristeço, quando um babaca, pequeno-burgues, acusa Zé Dirceu e Zé Genoíno de bandidos corruptos, que "devem ser condenados" por um tribunal "isento" como o STF... O Supremo Tribunal Federal foi responsável pela "devolução" de Olga Benário para ela ser assassinada pelos nazistas na Alemanha!

O STF nunca somou nas lutas contra as ditaduras e governos corruptos brasileiros!

Esta história pode começar a ser mudada. Na próxima semana um de seus ministros dará seu voto para abrir ou não um novo julgamento no caso "mensalão".

O STF poderá estar mudando, será????????



sexta-feira, 23 de agosto de 2013

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

REFLEXÃO SOBRE O TERMO TOTALITARISMO.



A mídia ocidental e serviçal ao imperialismo ianque adora dizer que o regime político vigente na antiga União Soviética era igual ao antigo regime nazista na antiga Alemanha. Bradam que os regime cubano, coreano do norte e assemelhados são totalitários. Mas o que eles dizem que é o totalitarismo pode ser aplicado às própria democracias representativas que defendem como"livres".

Vamos refletir?

Alguém é livre, sem dinheiro, num país dominado pela lógica do capital?

Alguém tem liberdade de opinião onde os meios de comunicação estão majoritariamente nas mãos de monopólios privados que decidem o que será conhecido ou não pela população?

Alguém tem liberdade de ir e vir de um país a outro sem passaporte, vistos e outras imposições burocráticas?

Pois é...



O artigo abaixo joga uma luz pequena, mas bastante crítica sobre o que é o totalitarismo.

"(...) pode-se iniciar a argumentação de Losurdo pelo fim: o contexto histórico-político da Guerra Fria é determinante na definição do termo. É digno de nota que a relação crítica se inverte: se os teóricos do totalitarismo imaginavam-se em oposição e fazendo uma crítica aos regimes políticos totalitários, a categoria que eles erigiram para tanto volta-se contra eles próprios e, no contexto do mundo dividido em dois campos ideológicos antagônicos, torna-se arma ideológica de combate contra o comunismo."

Continue lendo:








segunda-feira, 19 de agosto de 2013

http://youtu.be/AYiSqyiVaA4

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Eu posso rir de qualquer piada!

Abaixo a ditadura cristã!

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

BRASIL EM PERIGO!




As manifestações que se iniciaram em Junho de 2013 continuam a acontecer, mesmo que muitas vezes de forma violenta. A cidadania brasileira tem que ter um objetivo claro e definido: o exercício pleno da democracia, de defesa do Estado de Direito Democrático e - nunca - o protesto pelo protesto, a falta de ação, de propostas e de ideias claras pois isto é infantilidade, idiotia manipulável por quem não quer nenhuma mudança - ou quer a volta de um passado intolerante, controlador, mentiroso e genocida.

Quando estas manifestações descambam para o "apartidarismo", pela exclusão de quem é diferente nelas, se tornam liberticidas e autoritárias: como se as lutas que tem objetivos gerais como contra a corrupção, a violência policial e por melhorias nos transportes, saúde, educação fossem exclusivas dos "sem partido", dos eleitos pelo "apoliticismo". 

Objetivos específicos e mensuráveis unem e não dividem! Objetivos claros permitem o diálogo entre diferentes e não, o terror da guerra, da violência e da intolerância.

O horror ditatorial embutido nestes tipos de comportamentos elitistas é típico de uma pequeno-burguesia reacionária, antidemocrática e excludente. Essa gente relutou em aceitar a plenitude democrática e reluta em aceitar um Brasil mais justo, inclusivo e que luta contra seu Estado imperfeito e ainda insensível em muitas das misérias de seu povo.

A capacidade de organização dos setores populares, democráticos e libertários tornam-se mais do que necessária para impedir a volta da hegemonia conservadora e imbecil que mantinha o país prisioneiro de uma ditadura militar anacrônica e sanguinária.

Soma-se ainda a este fato, o crescimento de setores evangélicos, radicais cristãos intolerantes e agressivos contra a liberdade individual. 

O Brasil corre perigo!





Há gente, em nosso país (e mesmo no mundo) que quer impor um livros religiosos como lei! Um absurdo medieval!

Temos que estar alertas contra o fascismo! Neste tipo de governo, quem não faz parte da "turma" é perseguido e humilhado - quando não preso e assassinado! A democracia e as leis desaparecem sob a vontade iluminada de alguns indivíduos, grupos e elites obsessivas pelo exercício do poder discricionário e violento.

Se pode querer atingir uma meta sem objetividade? Se pode ter religião misturada com política?

Temos eleições em 2014, sem ter ocorrido, ainda, a reforma política necessária e postergada pela ação insidiosa dos que odeiam as práticas democráticas. Uma reforma política que acabe com os privilégios dos políticos (salários altos, a política como profissão, aposentadoria em 8 anos, carros pagos pelo Erário Público, etc) e estabeleça regras públicas, igualitárias e legítimas no processo eleitoral e nos exercícios dos mandatos populares. 

Como ficamos? Constituinte exclusiva, em processo livre e universal, sem direitos especiais aos eleitos, de forma individual ou partidária...ou reforma feita por este Congresso Nacional que cavou a própria ilegitimidade para compor uma Constituinte ou propor um referendum?

É preciso, ainda, somar esforços para que qualquer atividade religiosa seja impedida de participação em processo político-eleitoral, seja incluída no pagamento de impostos, deva ser sujeitada ao cerceamento de sua exibição nos meios de comunicação de massas como uma verdade absoluta (nos rádio, TV, jornais, revistas, internet nada de imposição religiosa) e pela existência de legislação que liberte do preconceito e da intolerância os setores subjugados ao terror fanático religioso!

Ação, união e força contra um Brasil intolerante e excludente!

Viva a democracia e vivam as liberdades democráticas!



Leia e não se assuste: